O diagnóstico estratégico, em seu processo de análise externa e interna, apresenta determinados componentes que serão apresentados a seguir:

Pontos fortes: são as variáveis internas e controláveis que propiciam uma condição favorável para a empresa, em relação ao seu ambiente, onde estão as variáveis externas e não controláveis, representadas pelas oportunidades e ameaças.

Pontos fracos: são as variáveis internas e controláveis que provocam uma situação desfavorável para a empresa, em relação ao seu ambiente.

Oportunidades: são as variáveis externas e não controláveis pela empresa que podem criar condições favoráveis para a empresa, desde que a mesma tenha condições e ou interesse de usufruí-las enquanto perdura a referida situação. 

Ameaças: são as variáveis externas e não controláveis pela empresa que podem criar condições desfavoráveis para a mesma.

Os pontos fortes e fracos representam as variáveis controláveis, enquanto as oportunidades e as ameaças representam as variáveis não controláveis pela empresa. Fica evidente que o problema maior são as variáveis sobre as quais não se tem controle, mas nunca se pode menosprezar as variáveis controláveis.

Para a execução do diagnóstico estratégico é necessário ter acesso a uma série de informações, estar preparado para fazê-lo, saber quais informações são desejadas, quais as informações pertinentes e como obtê-las. 

Essas fontes de informações podem ser: internas à empresa e externas à empresa. O conjunto das informações externas e internas à empresa forma seu sistema de informações global. Naturalmente, desse total o executivo deverá saber extrair as informações gerenciais que, realmente, a empresa precisa para ser eficaz em seu processo decisório. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *